Medindo o que Importa: Entrega e a Geração de Valor por Meio de Processos

Estruturando um Escritório de Processos
21 de julho de 2016
7 Passos para uma automação de processos bem sucedida
4 de janeiro de 2017

Medindo o que Importa: Entrega e a Geração de Valor por Meio de Processos

Medindo para entregar e gerar valores aos interessados do processo. Ao final do curso o participante deverá ser capaz de:
  • Determinar os resultados de valor do processo na perspectiva de cada interessado (stakeholder);
  • Entender a importância de um sistema de medição efetivamente transformador, isto é, que esteja comprometido com provocar aprendizado e não com provar pontos de vistas;
  • Entender como evitar as diversas armadilhas de sistemas de medição que tanto impactam e inviabilizam sua efetiva implementação e uso;
  • Identificar indicadores de desempenho efetivamente úteis para a gestão de processos;
  • Identificar indicadores de desempenho que efetivamente meçam a criação e entrega de valor aos diversos interessados (stakeholders) do processo;
  • Entender e implementar o ciclo de vida do indicador: identificar, descrever, implementar, implantar, usar, descartar e refinar;
  • Usar indicadores de Resultado e Tendência como suporte a ações gerenciais.

Nossos processos estão efetivamente entregando os resultados a que se propõem? Nossos processos estão funcionando bem? Há alguma necessidade de intervir, gerencialmente, nos processos? As melhorias nos processos foram efetivas? Trouxeram o ganho de desempenho esperado? Nossos indicadores nos permitem a reflexão e (re)ação adequada em relação aos nossos processos?
Para que medimos se não para entender, avaliar e evoluir nossos processos? Usamos os números para provar nossas teses e pontos de vista ou para provocar a compreensão e necessária evolução de nossos processos? Estamos medindo o que precisa ser medido, isto é, o valor criado e entregue para os diversos interessados ao processo? Estamos criando cockpits compreensíveis que estimulam a reflexão e a tomada de decisão?
Esse curso visa, especificamente, dar a base para a identificação, especificação e análise de indicadores de processo como um instrumento fundamental na Gestão de Processos de Negócio.

O curso se desenvolverá por meio de teoria e um grande conjunto de exercícios;

O curso se utiliza de diversos recursos didáticos incluindo filmes, discussões e dinâmicas em grupo;

O curso se utiliza de exemplos didáticos e casos dos participantes, quando possível, visando a avaliação da aplicação dos conhecimentos no dia-a-dia;

O material do treinamento visa à efetiva transferência de conhecimento por meio de: definições, esquemas, exemplos e dicas.

Analistas de Processos, de Sistemas, de Negócio e gerentes de negócios e dessas áreas envolvidos com a concepção de sistemas de medição como um meio de suportar a melhoria e gestão de processos e negócios.
Data: Julho, Agosto e Setembro
Horário: - De 9h às 18h - Sábado e Domingo
- De 18h30 às 22h30 - Segundo a Sexta
Carga horária: 24h
Local: Brasilia-DF, Goiânia-GO e Belo Horizonte-MG
Quantidade de participantes: A combinar;

Parte I – Processo como um meio de geração contínua de valor

Conceitos Básicos de Processo de Negócio

·      Interessados (stakeholders) e perspectivas de processo

·      A diferença entre saída e resultado: A necessidade de organizar o trabalho ponta-a-ponta

·      Essência de um processo

·      Definições de processo

·      Exercícios

·      Motivação para processos: Geração contínua de valor

·      Processo como um meio de satisfação e fidelização de clientes

·      Exercícios

Caracterização do Processo: De que processo estamos falando?

·      Definindo nome de processo

·      Exercícios

·      Definindo a intenção do processo: propósito

·      Exercícios

·      Determinando o escopo do processo: início, fim de processo e resultado para cada stakeholder

·      Exercícios

·      Determinando a responsabilidade do processo

·      Exercícios

Afinal, o que medir?

 

Parte II – Medição

Motivação e Conceitos

·      Pilares de um Sistema de Medição (Contexto, Foco, Integração e Interatividade)

·      O problema da disfunção da medição e a necessidade da integração horizontal

·      Atividades da gestão de processos

·      Conceito de medida, métrica e indicador

·      Componentes de um indicador

·      Formas de se expressar um indicador

·      Exercício

Porque Medimos

·      Em que situação medimos os processos

·      Aspectos humanos da medição

·      Por que medir?

O que Medimos

·      Natureza de indicadores (Eficácia, Eficiência, Qualidade e Adaptabilidade)

·      Níveis de medição

Ciclo de Vida de Indicador

Tipos de Indicador

PPI – Process Performance Indicator

·      O conceito de PPI (Process Performance Indicator)

·      O foco do PPI de acordo com o CBoK

·      Critérios para escolha de PPIs

Tipos de Indicador: Resultado e Tendência

·      Definição

·      Aplicabilidade

Indicador de Resultado

·      Identificando Indicadores de Resultado

·      Descrevendo Indicadores de Resultado: Atributos básicos de um indicador

·      Exercício

·      Tecnologias envolvidas na implementação de Indicadores de Resultado

·      Orientações para implantação de Indicadores de Resultado

·      Usando Indicadores de Resultado

Indicador de Tendência

·      Relação de causa e efeito entre indicadores

·      Identificando Indicadores de Tendência

·      Exercícios

·      Tecnologias envolvidas na implementação de Indicadores de Tendência

·      Formas de implementação de Indicadores de tendência

·      Orientações para implantação de Indicadores de Resultado

·      Usando Indicadores de Tendência

·      Exercícios combinados (Resultado e Tendência)

Alinhamento de Indicadores de Processos e Funcionais

Visualização de Indicadores

·      Orientação para a formação de cockpits

·      Reflexões sobre medição

·      Evolução da medição de acordo com a Maturidade de Gestão de Processos

·      Exemplo de Framework de Medição

·      Melhores práticas de medição de processo

Alexandre Magno Mello

Vem atuando com Processos e Gestão Baseada em Processos desde 1994. Desenvolveu e implementou projetos de diversas naturezas, envolvendo: elaboração de metodologia de Gestão de Processos de Negócio, estruturação de Escritório de Processos, elaboração de Arquitetura de Processos e projetos de Melhoria de Processos – incluindo análise de processo e identificação e especificação de indicadores de desempenho. Como instrutor de Bussiness Process Management, capacitou inúmeros profissionais de diversos segmentos e participou de várias conferências no país e no exterior.

Os comentários estão encerrados.

 

Garantindo que nossos clientes entendam seus processos:

1 – Identificar os principais processos corporativos (Processos Core Business):

     – Workshop de Transformação;

          – Documentar a parte central do negócio;

          – Criação da visão Outside In;

          – Criação do backlog de melhorias.

 

2 – Estabelecer o caminho a ser atingido com base nos principais processos identificados:

     – Definição dos métodos que serão utilizados na melhoria dos processos;

     – Aplicação da cultura organizacional nos processos corporativos;

     – Exploração da visão transversal dos processos corporativos (ponta a ponta);

     – Registro das orientações e procedimentos na Gestão por Processos.

 

3 – Planejar como medir os indicadores de desempenho

     – Elaboração do Plano de Ação;

     – Definindo indicadores macros de desempenho por visão negocial.

×

 

Implantando a Gestão por Processos:

1 – Desenvolvendo ações de melhoria e inovação continua;

     – Acompanhamento de iniciativas.

2 – Desenvolvendo métricas de desempenho de processos;

     – Acompanhando o desempenho e calibrando os indicadores de desempenho;

     – Gerando relatórios de controle.

3 – Realizando especificações técnicas do negócio;

4 – Gerindo o portfólio de projetos;

5 – Transformando a visão sistêmica e não funcional do trabalho em Automações de processos.

 

×

 

Entendendo meu próprio negócio:

1 – Elaborando diagnósticos dos processos corporativos;

     – Documentação do processo atual.

2 – Revisando e Aplicando a melhoria continua nos processos;

     – Documentação do processo melhorado;

     – Identificando novas atividades e/ou corrigindo as existentes.

     – Identificação de oportunidades de melhoria nos processos de nossos clientes;

     – Adequando os processos na visão organizacional.

 

×

 

Sustentando o negócio:

1 – Capacitações e treinamentos;

     – Definir lista de cursos.

2 – Governança de processos:

     – Planejamento da implantação da Governança;

     – Definições dos processos, métodos, técnicas e ferramentas de Governança;

     – Mapeamento, Administração e controle do portfólio de processos;

3 – Elaboração, definição e implantação da arquitetura de processos;

4 – Aplicar a gestão de configuração e mudança no repositório de processos;

     – Gestão de mudança.

 

×
Entenda o que é o PDCA

 

Ciclo PDCA foi criado pelo Dr. Walter Shewart, mas foi popularizado pelo Dr. W. Edwards Deming, considerado por muitos o pai da qualidade moderna. Seu objetivo principal é possibilitar que os processos de gestão das empresas sejam mais ágeis, além disso, pode ser utilizado em diversos tipos de empresas para atingir excelentes resultados na gestão corporativa.

Ciclo PDCA é estruturado com o planejamento das ações, execução do planejado, verificação dos resultados e realização das ações corretivas. Veremos o resumo de cada uma destas etapas:

P (Plan) = Planejamento: Estabelecer e elaborar o plano de ação, identificando os problemas que impedem o alcance das metas esperadas.

D (Do) = Execução: Realizar todas as atividades que foram previstas e planejadas dentro do plano de ação. Colocar em prática o planejado.

C (Check) = Verificação: Verificar constantemente os resultados obtidos com a execução das atividades. Avaliar os processos e resultados, confrontar com o planejado e criar os relatórios específicos.

A (Act) = Realização/Ação: Tomar todas as providências necessárias com base nas avaliações e relatórios dos processos. Se necessário traçar novos planos de ação para melhoria continua da qualidade, visando a correção de falhas e o aprimoramento dos processos corporativos.

Importante: O Ciclo PDCA é um ciclo, dessa forma, deve está sempre girando não tendo um fim definido. O novo ciclo pode ser iniciado a partir do ciclo anterior, sendo essencial para o sucesso do processo.

×