Orientação a objetos com Java

Java para Web com Servlets e JSPs
22 de junho de 2016

Orientação a objetos com Java

Saia de vez do mundo procedural e embarque no mundo cheio de magia da orientação a objetos. Neste curso, você será apresentando aos poucos a problemas e soluções através da orientação a objetos e se tornará cada vez mais capaz de desvendar qualquer API da plataforma. Ao final do curso, você estará apto a desenvolver sistemas básicos utilizando o paradigma da orientação a objetos, trabalhar com as facilidades do Java 8 e do Eclipse
Fornecer conhecimento da plataforma Java Standard Edition, abordando os temas necessários para que o aluno se torne apto a desenvolver aplicações simples na plataforma.
Este curso é indicado para aqueles que estão iniciando na linguagem Java e também para quem já conhece Java de forma superficial, e deseja aprofundar seus conhecimentos no funcionamento da linguagem e na forma de desenvolver aplicações.
Pré-requisitos Conhecimento de lógica de programação ou alguma linguagem de programação, mesmo que não orientada a objetos.
Data: Julho, Agosto e Setembro
Horário: - De 9h às 18h - Sábado e Domingo
- De 18h30 às 22h30 - Segundo a Sexta
Carga horária: 32h
Local: Brasilia-DF, Goiânia-GO e Belo Horizonte-MG
Quantidade de participantes: A combinar (sugestão: máximo 12 por turma);
Funcionamento de aplicações web
  • Modelo cliente/servidor
  • Protocolo HTTP
  • HTML, URL e requisições GET e POST
  A plataforma Java EE
  • Especificação e separação em camadas
  • Componentes e containers do Java EE
  • Estrutura de diretórios
  • Empacotamento de aplicações
  Trabalhando com o Apache Tomcat
  • Funcionamento e configuração
  • Integração entre o Tomcat e o Eclipse
  Servlets
  • O que são e como funciona seu ciclo de vida
  • Criação de servlets
  • Requisições GET e POST
  • Configurações
  Java Server Pages
  • Elementos e diretivas de um JSP
  • JSP actions, objetos implícitos e páginas de erro
  • Inicialização e destruição
  • Passagem de parâmetros para JSPs
  Integrando Servlets e JSPs
  • O papel de cada componente
  • Parâmetros e atributos
  • Escopos de dados
  • Funcionamento da sessão e cookies
  • Forward e redirect
  JavaBeans, EL e JSTL
  • Propriedades, getters e setters de JavaBeans
  • Operadores e objetos implícitos na EL
  • Configuração do JSTL e tags importantes
  Mais sobre o arquivo web.xml
  • Welcome files
  • Configurações de sessão
  • Páginas de erro
  • Parâmetros para a aplicação
  Filters
  • Filtragem de requisições
  • Interceptação da requisição e da resposta
  • Criação e configuração de filters
  • Conceitos de AOP (Aspect Oriented Programming)
  Listeners
  • Tipos de listerners
  • Configuração
  Introdução ao Hibernate
  • Configuração
  • Definição das entidades e associações entre elas
  • HQL (Hibernate Query Language)
  Estruturando uma aplicação web
  • O modelo MVC
  • Servlet como um controller
  • Estruturação da camada model
  • Classes de acesso a dados (DAO)
  • Entidades
  • Objetos de negócio
  Segurança em Java EE
  • Autenticação e autorização
  • Roles de acesso
  • Proteção de recursos
  • Tipos de autenticação em Java EE
  • Confidencialidade e integridade com HTTPS
  Taglibs customizadas
  • Criação e configuração de tag files e tag handlers
  Applets
  • A existência da sandbox e o Java Plug-in
  • Criação de um applet e o seu ciclo de vida
  • Inserção de applets ao HTML
Mão na Massa: Criando Aplicações na Prática
  • Implementação de um sistema de e-commerce

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Garantindo que nossos clientes entendam seus processos:

1 – Identificar os principais processos corporativos (Processos Core Business):

     – Workshop de Transformação;

          – Documentar a parte central do negócio;

          – Criação da visão Outside In;

          – Criação do backlog de melhorias.

 

2 – Estabelecer o caminho a ser atingido com base nos principais processos identificados:

     – Definição dos métodos que serão utilizados na melhoria dos processos;

     – Aplicação da cultura organizacional nos processos corporativos;

     – Exploração da visão transversal dos processos corporativos (ponta a ponta);

     – Registro das orientações e procedimentos na Gestão por Processos.

 

3 – Planejar como medir os indicadores de desempenho

     – Elaboração do Plano de Ação;

     – Definindo indicadores macros de desempenho por visão negocial.

×

 

Implantando a Gestão por Processos:

1 – Desenvolvendo ações de melhoria e inovação continua;

     – Acompanhamento de iniciativas.

2 – Desenvolvendo métricas de desempenho de processos;

     – Acompanhando o desempenho e calibrando os indicadores de desempenho;

     – Gerando relatórios de controle.

3 – Realizando especificações técnicas do negócio;

4 – Gerindo o portfólio de projetos;

5 – Transformando a visão sistêmica e não funcional do trabalho em Automações de processos.

 

×

 

Entendendo meu próprio negócio:

1 – Elaborando diagnósticos dos processos corporativos;

     – Documentação do processo atual.

2 – Revisando e Aplicando a melhoria continua nos processos;

     – Documentação do processo melhorado;

     – Identificando novas atividades e/ou corrigindo as existentes.

     – Identificação de oportunidades de melhoria nos processos de nossos clientes;

     – Adequando os processos na visão organizacional.

 

×

 

Sustentando o negócio:

1 – Capacitações e treinamentos;

     – Definir lista de cursos.

2 – Governança de processos:

     – Planejamento da implantação da Governança;

     – Definições dos processos, métodos, técnicas e ferramentas de Governança;

     – Mapeamento, Administração e controle do portfólio de processos;

3 – Elaboração, definição e implantação da arquitetura de processos;

4 – Aplicar a gestão de configuração e mudança no repositório de processos;

     – Gestão de mudança.

 

×
Entenda o que é o PDCA

 

Ciclo PDCA foi criado pelo Dr. Walter Shewart, mas foi popularizado pelo Dr. W. Edwards Deming, considerado por muitos o pai da qualidade moderna. Seu objetivo principal é possibilitar que os processos de gestão das empresas sejam mais ágeis, além disso, pode ser utilizado em diversos tipos de empresas para atingir excelentes resultados na gestão corporativa.

Ciclo PDCA é estruturado com o planejamento das ações, execução do planejado, verificação dos resultados e realização das ações corretivas. Veremos o resumo de cada uma destas etapas:

P (Plan) = Planejamento: Estabelecer e elaborar o plano de ação, identificando os problemas que impedem o alcance das metas esperadas.

D (Do) = Execução: Realizar todas as atividades que foram previstas e planejadas dentro do plano de ação. Colocar em prática o planejado.

C (Check) = Verificação: Verificar constantemente os resultados obtidos com a execução das atividades. Avaliar os processos e resultados, confrontar com o planejado e criar os relatórios específicos.

A (Act) = Realização/Ação: Tomar todas as providências necessárias com base nas avaliações e relatórios dos processos. Se necessário traçar novos planos de ação para melhoria continua da qualidade, visando a correção de falhas e o aprimoramento dos processos corporativos.

Importante: O Ciclo PDCA é um ciclo, dessa forma, deve está sempre girando não tendo um fim definido. O novo ciclo pode ser iniciado a partir do ciclo anterior, sendo essencial para o sucesso do processo.

×